MENU

Copacabana: (21) 2522-5050 | Largo do Machado: (21) 2557-5115 | Centro: (21) 2263-2725 | Tijuca: (21) 2284-2799 | Barra: (21) 3647-3313

A decisão de realizar uma cirurgia ortognática

  • 12
  • 07
  • 2014

Indivíduos com deformidades dentofaciais apresentam relação desfavorável entre os arcos dentais e desvio das proporções faciais, podendo às vezes ser uma condição incapacitante. O problema afeta estes pacientes de duas maneiras: primeiro, compromete as funções maxilomandibulares, exigindo um esforço excessivo para realizar uma dieta normal e dificultando a dicção, principalmente em casos de face longa e mordida aberta. Em segundo, a aparência dentária e facial compromete a auto-estima através da imagem corporal, com consequências no desempenho profi ssional e social. Dados recentes apontam que cercada metade dos pacientes com indicação para correção ortodôntico-cirúrgica apresentam níveis de angústia psicológica sufi cientemente altos para afetarem sua qualidade de vida, devido a problemas de relacionamento interpessoal.

 

Os pacientes com problemas dentofaciais exibem importante maloclusão dental (desencaixe dos dentes) que, na maioria das vezes não pode ser tratada somente por aparelhos ortodônticos. Mesmo que se obtenha êxito em alinhar os dentes através da ortodontia, o comprometimento estético permanece devido à gravidade dos problemas esqueléticos (discrepâncias ósseas), fazendo com que os pacientes tenham dificuldade de superar seus problemas psicossociais. Para o sucesso do tratamento destas condições, a cirurgia ortognática é imprescindível.

 

A cirurgia ortognática (área especializada da cirurgia bucomaxilofacial) é a ciência e a arte de buscar soluções para os diversos problemas esqueléticos faciais originados por alterações no crescimento e desenvolvimento, causados por problemas genéticos, ambientais ou traumáticos (acidentes). O tratamento deve ser coordenado por ortodontistas e cirurgiões, tão logo se manifestem sinais e sintomas. Muitas cirurgias podem ser evitadas através de intervenção ortodôntica precoce em pacientes que apresentem maxila atrésica (menor do que o normal) desde que tratados com ortodontia na infância e adolescência, realizandose expansão do palato através de aparelhos. Porém, se o problema for detectado na fase adulta, já não se consegue a expansão, e uma cirurgia para disjunção palatal é indicada. Em geral, problemas de pouca gravidade, desde que não apresentem comprometimento estético significativo, podem ser tratados somente com ortodontia, através de estimulação de crescimento e compensação dental (mudanças na inclinação dos dentes) em idade oportuna, mesmo que limitada a alguns milímetros, como em mandíbulas deficientes, mas que, para casos limítrofes, pode ser uma boa solução.

O tratamento ortocirúrgico, visa à correção tridimensional dos problemas, incluindo os tecidos moles, duros e estruturas relacionadas da face. A filosofia se baseia em diagnóstico correto, plano de tratamento que, devido a sua gravidade e complexidade, pode exigir multidisciplinaridade para a resolução adequada. A cirurgia resolve com precisão a maioria dos problemas esqueléticos da face, mas exige adequada integração entre o ortodontista e o cirurgião bucomaxilofacial. Pacientes com deformidades dentofaciais, que necessitem de cirurgia ortognática, devem recorrer a centros de tratamento hoje existentes no país, que são compatíveis com os mais modernos centros do exterior, dispondo de todos os recursos físicos, técnicos e humanos. Os resultados obtidos com estes tratamentos apresentam alto grau de satisfação por parte dos pacientes, sendo esta a finalidade principal do comprometimento de um profissional desta área de atuação.

Aline Rodrigues

Olá meu sonho é fazer a cirurgia ortográfica. Como faço para conseguir? Sou do Rj. preciso aumentar meu auto estima.

Guilherme Lima

Ola Aline.
Poderia agendar uma consulta com um de nossos cirurgioes.
http://www.facesdorio.com.br/contato/

obrigado

Comments are closed