MENU

Copacabana: (21) 2522-5050 | Largo do Machado: (21) 2557-5115 | Centro: (21) 2263-2725 | Tijuca: (21) 2284-2799 | Barra: (21) 3647-3313

Apneia do sono

  • 12
  • 07
  • 2014

A Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é uma doença crônica, progressiva, incapacitante e com consequências ameaçadoras sobre o potencial de vida. Caracterizada por um colapso das vias aéreas superiores, devido ao estreitamento recorrente completo ou parcial dessas vias durante o período do sono, e esta difere da apneia central, quando falta o estímulo no sistema nervoso central e da hipoapneia quando há uma redução incompleta e transitória do fluxo de ar.

A SAOS apresenta como sinais e sintomas o ronco, a interrupção da respiração de forma intermitente durante o sono, agitação ao dormir, sensação de sufocamento ao despertar, sonolência diurna excessiva, impotência sexual, cefaleia e irritabilidade.

O tratamento da apneia obstrutiva do sono é multidisciplinar, indispensável, podendo ser realizado de diversas formas, tanto conservadoras como cirúrgicas, dependendo de inúmeros fatores como a gravidade da doença, as alterações anatômicas da via aérea superior, idade e condições sistêmicas do paciente.

Em casos leves ou moderados como tratamento de primeira escolha, pode-se optar por dispositivos intraorais, funcionando como reposicionadores mandibulares. Esses dispositivos intraorais possuem uma boa aceitação pelos pacientes e uma melhora significativa dos quadros leves entretanto, existem restrições e contraindicações, ressaltando-se que, nos reposicionadores mandibulares, é necessário que os pacientes possuam uma quantidade mínima de dentes (10 dentes) para a ancoragem desses aparelhos, além de não apresentarem nenhuma alteração de ATM (articulação temporomandibular), quadro este dificilmente encontrado, uma vez que o paciente retrognata ou micrognata apresenta disfunções em ATM de base.

Com o intuito de corrigir as deformidades craniofaciais diagnosticadas pela cefalometria, a cirurgia ortognática através de avanços mandibulares, maxilares ou bi-maxilares aumenta o espaço das vias aéreas superiores (espaços nasofaríngeo e bucofaríngeo). Indicado para os casos moderados e severos de apneia obstrutiva do sono, a cirurgia ortognática diminui ou zera o índice de apneia, podendo ser complementada com outras cirurgias para aumentar a perfusão das vias aéreas.