MENU

Copacabana: (21) 2522-5050 | Largo do Machado: (21) 2557-5115 | Centro: (21) 2263-2725 | Tijuca: (21) 2284-2799 | Barra: (21) 3647-3313

Cirurgia Ortognática

Alguns indivíduos possuem discrepâncias entre suas arcadas dentárias incompatíveis com uma oclusão ideal. Essas alterações não são passíveis de correções apenas por tratamento ortodôntico, necessitando de um tratamento interdisciplinar chamado de orto-cirúrgico devido ao comprometimento dento-esquelético.

As alterações afetam o indivíduo nas 3 dimensões do espaço: ântero-posteriormente, verticalmente e transversalmente. Como exemplo citamos indivíduos com face longa, face curta, pouca projeção de queixo, queixo grande, pouco pronunciamento a linha pescoço-garganta, sorriso gengivais, pouco amostra de dentes ao sorrir, etc.

O diagnostico é baseados em fotografias intra e extra-orais, radiografia e análise cefalométricas,análise de modelos zoocalados em gesso, análise facial e análise de assimetrias faciais.

A não correção da deformidade pode levar a problemas estéticos, deficiência mastigatórias, dificuldade de respiração, possível síndrome da apnea obstrutiva do sono, e síndrome dolorosa da articulação têmporo-mandibular.
O tratamento é baseado em 4 etapas, sendo estas:

  1. Preparo ortodôntico com vistas a cirurgia ortognática
  2. Procedimento cirúrgico,
  3. Finalização ortodôntica e
  4. Contenção e estabilização ortodôntica.

O tempo médi0 de tratamento é 1,5 a 2 anos.

O procedimento cirúrgico é realizado sob anestesia geral e consiste em osteotomias cranio-faciais para reposicionamento dos arcos dentários na posição planejada pré-operatoriamente, procedimento este todo realizado por dentro da boca. Após o procedimento existirá um período de readaptação por parte do paciente, no qual existirá um controle medicamentoso, controle de alimentação e de rotina de vida que gira em média de 3-4 semanas.

Os benefícios e a qualidade de vida após o tratamento o torno um procedimento com grande aceitação pelos pacientes.

 

 

 

 

 

Quadro pós-operatório

Primeiras horas
O paciente permanece internado no hospital em repouso, de 24 a 72 horas. Durante esse período, ele receberá medicações regularmente por soro, sendo empregada compressa de gelo abundante nas primeiras seis horas para controle do inchaço. A dieta deve ser líquida e fria nessa primeira hora, sendo a alimentação baseada em sucos, sopas, vitaminas e água. É de extrema importância a higiene oral após a cirurgia, para evitar a contaminação da área operada (indica-se higienização quatro vezes ao dia). Não devem ser realizados bochechos de qualquer natureza, podendo ser feito apenas o enxágue da boca após a higienização. Manter sempre a cabeça para cima, equivalente ao uso de três travesseiros. Não ficar em decúbito lateral para não pressionar a área operada. O paciente também não deve fazer esforços para soar e desentupir o nariz, a fim de evitar sangramentos. Ele pode falar, mas com moderação. Seguindo corretamente as orientações dos profissionais, o paciente terá um pós-operatório tranquilo e adequado.
Primeiros dias
Após a alta hospitalar, o paciente volta para casa e algumas medidas ainda precisam ser tomadas. O paciente deve se manter em repouso moderado, evitando qualquer tipo de esforço ou atividade física. A dieta deve ser líquida e pastosa, ou seja, à base de sopas, cremes, purê de batata e, se possível, a cada três horas, a fim de evitar grandes perdas de peso. A higiene oral é de extrema importância e deve ser feita sempre após as refeições. Os dentes devem ser escovados com creme dental e água, os pontos devem ser limpos com o auxílio de espátulas de madeira e gaze, seguindo as orientações do cirurgião. A limpeza da cavidade oral evita inflamações exacerbadas, infecções e a abertura dos pontos. Nesse período de recuperação, nunca se expor ao sol e manter sempre a cabeça mais elevada em relação ao restante do corpo. Após 15 dias da cirurgia, os pontos são removidos. Durante todo esse período, será realizado o acompanhamento com o cirurgião buco-maxilo-facial e o ortodontista, sendo empregados elásticos intraorais para manter a mordida na posição correta. O acompanhamento fonoaudiológico é iniciado no momento em que são propostos exercícios musculares faciais, visando a recuperação adequada das funções.
Primeiro mês
Após o primeiro mês de pós-operatório, a recuperação já estará bem avançada e pode-se, aos poucos, implantar uma alimentação mais consistente (arroz, feijão, carne moída, massas). Alimentos duros (bife, pizza, pão francês, por exemplo) ainda estão proibidos, pois a cicatrização óssea final ainda não ocorreu. Atividades físicas de baixo esforço e que não causem impacto na face podem ser lentamente retomadas na rotina. Nessa fase, o inchaço já regrediu e o paciente está liberado a voltar às suas atividades normais. Viagem de avião, sol, mergulho e esportes de contato ainda continuam proibidos. Essas atividades poderão ser realizadas de acordo com a recuperação individual, após a liberação pelo profissional da Eleve.
Primeiro ano
Após um ano de cirurgia, já ocorreu a cicatrização óssea. Alimentação, atividades esportivas e exercícios físicos estão completamente liberados. Se a movimentação ortodôntica foi realizada antes da cirurgia, o paciente provavelmente estará sem aparelho ortodôntico e o inchaço pós-cirúrgico também já regrediu.

 

Sintomas

A parestesia
Parestesia é um distúrbio neurossensitivo causado por lesão no tecido nervoso durante o procedimento da cirurgia ortognática, inerente ao procedimento. Clinicamente, ocorre uma alteração sensitiva na região dos lábios e gengiva, mas raramente essa falta de sensibilidade é permanente. Os movimentos faciais não são afetados, somente a sensibilidade. Aos poucos ela vai voltando durante o período pós-cirúrgico.
Edema e Equimose
O edema e a equimose ocasionados pelo procedimento cirúrgico pode levar 3-4 semanas para se dissipar. A aplicação de gelo por 48-72h,posição supinamente elevada de cabeceira de cama em 30 graus e medicação com anti-inflamatórios esteroidais auxiliam nesse período.
Obstrução nasal
Pode se desenvolver após a cirurgia. O bloqueio com elásticos pode ser removida em caso de extrema necessidade. Sprays nasais como soluções a base de oximetazolina ( AFRIN sol.nasal ) podem auxiliar.
Sangramento nasal
Quando occore é proveniente de seio maxilar afetado pela osteotomia, pode ser notado por 10-14 dias. Em caso excessivo contactar seu cirurgião.
Nausea
Se ocorrer é devido a sangue no estomago e aos agentes anestésicos. Controle por medicamentos.
Sintomas auditivos
A intubação nasal causa irritação, inflamação e edema nas proximidades do aparato auditivo, causando retenção de fluidos. Sintomas como dor, desconfortos, vertigo e zumbido podem ser relatados.
Fadiga
Muitos pacientes apresentam sintomas de cansaço até 1 mês pós cirurgia.
Micção
A necessidade de urinar aumenta pós-cirurgicamente.
Bruxismo e apertamento
O uso de medicação como Clonazepan 1mg 1h antes de dormir é eficiente.

 

Cuidados pós-operatórios

Alimentação
Deve ser líquida no início e aumentando a consistência com o passar dos dias. A abertura de boca, movimentação da língua, selamento labial e força muscular estarão totalmente alterados.
No início, o alimento deve ser ingerido com auxílio de colher, canudo e copo. O canudo não pode ser grosso, pois o paciente não terá selamento labial para realizar a sucção. Aconselhamos utilizar um canudo médio, pois o fino não permite a passagem do alimento na consistência necessária.
A colher deve ser pequena no início e depois passar para o tamanho médio. Para facilitar a ingestão com a colher o paciente deve colocar um espelho em frente durante a refeição.
Ao utilizar o copo o paciente deve apoiar o lábio inferior para ajudar o selamento do lábio junto ao copo e evitar a saída de alimento pelo canto da boca.
Com o tempo cada paciente vai adaptando sua maneira de se alimentar e o que era preocupante no início acabam tornado-se rotina.
O alimento de consistência solida só será liberado a partir de 90 dias da cirurgia e se o paciente se sentir bem. O alimento sólido pode atrapalhar a consolidação óssea e pode também gerar tensão nas placas de fixação desestabilizando-as.
Repouso
O paciente deverá permanecer em repouso absoluto, durante 5 dias, depois poderá ter suas atividades normais, evitando o esforço físico e a exposição ao sol, durante 2 meses.
Higiene bucal
A higienização deve ser realizada todas as vezes em que ingerir alimentos.
O paciente deve disponibilizar uma seringa de 20 ml com agulha romba, uma afastador minessota e um raspador de língua. No entanto, se não tiver pode utilizar o afastador como raspador e uma escova dental infantil. Após a escovação deve se realizar bochecho com colutório.
Medicação
Deve ser seguida rigorosamente, segundo a orientação, para que não apareçam complicações pós-operatórias.
Posição para dormir
Nos três primeiros dias deve-se manter o corpo em uma posição inclinada de 30° (posição supina), mantendo a cabeça fixa em uma posição reta e para frente. Para isto, colocam-se dois travesseiros lateralmente. Após este período, deve-se manter somente a cabeça fixa para frente, pelo período de 45 dias.
Após este período o paciente poderá dormir de lado, tomando o cuidado de não colocar a mão embaixo do rosto.
Fisioterapia
No primeiro dia pós-operatório, deve ser feita a aplicação de bolsa de gelo ou similar, na face, com intervalos de 5 minutos.
Após o período de 60 dias, pode-se iniciar a fisioterapia funcional, mas o principal exercício é mastigar e durante as refeições o alimento deve ser mastigado 10 vezes de cada lado.

 

Dúvidas Frequentes

Ficará inchado?
O “inchaço” (edema) é normal, faz parte do processo de cicatrização. Pode ainda, aparecer manchas roxas na face, que desaparecerão em aproximadamente 15 dias.
Terá sangramento?
Um pequeno sangramento é normal, como o de uma extração dentária. É comum, também um pequeno sangramento pelo nariz.
Quanto tempo dura a sensação de anestesia (parestesia)?
É comum depois da cirurgia, principalmente na região inferior, perto do queixo e na região abaixo dos olhos, o paciente ficar com hipoestesia (perda temporária da sensibilidade sem perda da função motora). Apresentando-se clinicamente com a sensação de anestesia (parestesia) nestas regiões, podendo durar semanas, meses, anos ou raramente ser permanente.  
Psicologicamente, como me afetará?
Trabalhos científicos têm mostrado que na primeira semana o paciente sofre uma pequena depressão, como em qualquer tipo de cirurgia, mas que depois passará dando lugar a uma euforia (alegria intensa) e recuperação da auto-estima, podendo ocorrer grandes mudanças psicologicamente positivas.
Como serão as mudanças faciais?
O objetivo do tratamento é recuperar a função correta das estruturas dentofaciais. Consequentemente, temos uma melhoria na estética facial, proporcionando um aprimoramento da beleza pessoal. As alterações faciais serão planejadas em computador e o paciente terá a oportunidade de analisá-las antes da realização da cirurgia.
O acompanhamento deverá ser feito por quanto tempo?
O acompanhamento deve ser feito por pelo menos 05 anos de pós-operatório.
Poderão surgir alguns problemas com o tempo?
Quando o tratamento é realizado corretamente e o paciente realiza todas as recomendações, a ocorrência de complicações são mínimas. Os ossos da face não ficam mais fracos, pelo contrário, todas as funções da face (respiração nasal, mastigação equilibrada) serão restabelecidas, ocorrem grandes melhorias estéticas e psicológicas.